segunda-feira, 28 de junho de 2010

Pormenores

Há alguns fins-de-semana a esta parte mal temos estado juntos, escapa apenas o Sábado à noite. Tens que estudar, fase de testes. Compreendo. No próximo fim-de-semana estás livre (julgo eu). Digo-te que ainda não sei se vá a Lisboa ter com uma amiga e tu respondes: "Vai!".
Pouco te importa se nunca estamos juntos. "Vai!"
Pouco te importa se fazemos hoje 11 meses de namoro e até podermos ir jantar Sábado para quebrar a rotina e todo o gelo que se tem formado entre cada um de nós provocado pela ausência e o desprendimento. "Vai!"
Afinal de que serve dizer "vou mudar!", afinal de que serve eu pedir "(re)conquista-me"... O mais importante tem que ser o querer e esse querer só existe dentro de nós...
(...)

8 comentários:

Sofia disse...

Sim, vai. E sabes... não sei se as pessoas mudam. Já não acredito nisso. Portanto, vai mesmo. E não te mostres triste por isso.

Crazy disse...

Espero que em breve resolvam isso.
Se não, lembra-te que tu mereces ser feliz! Pensa em ti e não nos outros.

Beijinhos

Dear Daisy disse...

Já paraste para pensar se é isso que queres para ti?
Não preferias ir a Lisboa, divertires-te imenso com a tua amiga e não ficares triste porque não se importaram que tu fosses?
Vai mesmo a Lisboa. Desta e de outras vezes.
E tenta não ficar triste. Com o tempo tu consegues.
Beijinho

Cor de Chá disse...

Vai, diverte-te, passa tempo de qualidade com a tua amiga. E volta, com força para resolver uma situação que (parece-me) não tem futuro. E tu mereces mais. Bj.

kitty disse...

Se nao fores vais fikar em casa cm esperança que ele apareça e ele nem se digna a isso...
Sei o quanto complicado é sentirmo nos ignorados ao ponto de pormos em causa a nossa propria sanidade...
Portanto caga pro filme, vai pra lisboa, diverte-te cm a tua amiga.
Porque se ao fim 11 meses a relaçao ja esfriou tnt, acredita que nao vai melhorar agora.
Se forte e qualquer coisa desabafa no blg que aqui as visitas confortam-te.
Beijao enorme

Anónimo disse...

Ai... como me revejo nesta descrição. Namoramos há 5 anos. No início, 1ºs 3 anos, mensagens apaixonadas, partilhas, fins-de-semana maravilhosos... Como tenho uma profissão muito instável, andei sempre longe, agora que finalmente estamos perto, mensagens raríssimas, desculpas com o trabalho. que não me percebe, que me ama como no primeiro dia... mas eu não sinto isso. Queixo-me e o resultado é sempre o mesmo: manutenção da situação:( Já lhe começo a ver mais defeitos que virtudes e isso não é bom...

Dina disse...

Estou a passar uma fase semelhante à tua... Os homens bem prometem que mudam, que vão investir na relação, blablabla, mas na hora de passar da teoria à acção, não se vê nada!

Faz de Conta disse...

:(