domingo, 20 de setembro de 2009

Carta V

Mais uma carta a ti, esta escrevo-a apenas para me despedir deste ritual. Não te disse que o fiz, nem vou dizer,...
Talvez venhas aqui e tenhas uma surpresa.
Talvez vejas e leias e não consigas sentir metade do que eu estava a sentir quando escrevi, ou talvez sintas, não sei...
Talvez te emociones, talvez não... Quando escrevi dirigi-me sempre a ti mas na verdade foi sempre para mim que escrevi, para minimizar a solidão que senti estes dias todos...
Ontém reencontramo-nos e descobri que cada dia longe de ti serviu para me sentir mais próxima ainda. Não fizemos o que eu gostaria de ter feito, nem fomos onde eu gostaria de ter ido mas amar é mesmo assim, ir cedendo e adaptando-nos às necessidades e vontades da outra pessoa. Estou a aprender a fazer isso aos poucos. De qualquer das formas foi uma noite agradável, gostei bastante.
Agora queria pedir-te só uma coisa, não me deixes sozinha nos próximos tempos, preciso mais de ti que nunca. Ouve-me, abraça-me, mostra-me,...
Obrigada por existires e já sabes...
Longe ou perto estou sempre contigo dentro do coração.
Até sempre...

3 comentários:

Mona Lisa disse...

Coincidência..escrevemos ambas uma carta dirigida a alguém..no mesmo dia. Nem imaginas o quão próximas senti essas tuas palavras. Podiam perfeitamente ter sido escritas por mim.
Bom Domingo!

Me disse...

Oh l'amour...

Romeo disse...

Ao ler as cartas, meu corpo estremeceu... meu coração parou e a minha alma uniu-se ainda mais à tua...
Desculpa a minha ausência, mas em cada passo que dei estavas comigo, em cada momento de dor eras a minha morfina... Agora que voltei... simplesmente ama-me não compliques o que é fácil! E seremos a palma e a mão...AMO-Te