sábado, 21 de fevereiro de 2009

#021

É estranho quando nos desfazemos de uma coisa que acompanhou momentos tão importantes da nossa vida.

É difícil despegar-nos de bens materiais assim como é difícil despegarmo-nos de certas pessoas.

Este carro acompanhou muitos momentos só meus, dividiu comigo momentos de ângustia e de alegria... Fez-me feliz, irritou-me outras tantas vezes.

Foi a minha primeira grande compra embora pequena, paguei-o sozinha e ainda a estudar, com esforço, com vontade,... Trabalhei horas a fio nas bijuterias para o pagar.

Aprendi a conduzir nele, depois de tanto tempo sem pegar em carro nenhum, fiz asneiras nele, bati com ele a primeira e única ve que bati, fui com ele a muitas entrevistas quando acabei a licenciatura, foi nele que fui para o meu primeiro emprego à séria,... Chorei nele baba e ranho quando me desiludi, dei gargalhadas quando sentada ao volante tive boas noticias.

Muito falei eu sozinha dentro deste carro, muito cantei, muito conversei...

Vou ter saudades DR, e só agora é que me apercebi do carinho que podemos criar por um carro...

2 comentários:

Myosotis disse...

ohhh... como eu te compreendo!!

**Beijinhos**

Raquel disse...

É estranho ficarmos com saudades de um carro velho se vamos ter um novo, mas pronto... É como se fosse um amigo que nunca mais vou ver. :)